Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Potencial nutricional das algas vermelhas Hypnea musciformis e Solieria filiformis: Análises da composição centesimal
José Gerardo Carneiro, Mayra Cristina Freitas Barbosa, Daniele M Alves Teixeira, Germana Conrado Souza, Ilany Kelly Diogenes Pereira, Manuela Araújo Carneiro

Última alteração: 2012-08-17

Resumo


Resumo: Algas são fontes de proteínas, vitaminas e sais minerais e fazem parte da alimentação humana. Existem milhares de variedades de algas marinhas, cada espécie de alga marinha é única, na sua composição, forma, sabor e textura. Embora nem todas as algas existentes sejam consumidas, uma grande parte já é incluída na alimentação humana. O objetivo do presente estudo foi obter dados sobre a composição nutricional de algas do filo Rhodophyta, Hypnea musciformis e Solieria filiformis, ambas encontradas no litoral cearense, visando a avaliação do seu potencial para uso como ingredientes alimentares. As análises de Umidade, Cinzas e Proteínas foram realizadas pelo método de Kjeldahl e Lipídeos pelo método de Bling Day. Os carboidratos totais foram calculados por diferença. Foram realizados em triplicata e calculada a média.Os resultados das análises para algas vermelhas H. musciformis e S. filiformis, respectivamente, foram úmidade: 14,17% e 15,06 %; cinzas: 14,14% e 15,12%; proteína: 17,12% e 20,31%; lipídeos: 0,33% e 0,33% e carboidratos totais: 54,24% e 49,18%. Ambas, algas vermelhas exibiram um amplo aspecto de composições nutricionais que os tornam excelentes candidatos para uma alimentação adequada à nutrição humana.

 

 

 


Texto completo: PDF