Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
PRESENÇA E ISOLAMENTO DE Staphylococcus aureus, Escherichia coli e Salmonella sp. PROVENIENTES DE FILÉS DE TILÁPIA (Oreochromis niloticus) COMERCIALIZADOS NO MERCADO MODELO NERIVAL ARAÚJO, CURRAIS NOVOS/RN.
LEANDRO ÍCARO SANTOS DANTAS, Francisco Angelo Gurgel da Rocha, Joyce Azevedo Bezerra de Souza, Magnólia Fernandes Florêncio de Araújo, Roberto Pereira da Silva

Última alteração: 2012-10-16

Resumo


O consumo de pescado vem aumentando a cada dia e influenciando a piscicultura de água doce. Atualmente o Brasil já é o 25º produtor de pescados mundial. O Rio Grande do Norte entre os estados do Nordeste é o maior exportador em toneladas. O peixe é uma excelente fonte de aminoácidos essenciais e proteínas de alto valor biológico. Entre as espécies mais cultivadas no país destacam-se as tilápias (Oreochromis niloticus), representando 39% de todo o pescado cultivado no País. Dentre as qualidades relatadas pelos consumidores da carne de tilápia estão o alto nível protéico, a fácil digestibilidade, a baixa taxa de gordura e ainda a benéfica presença dos ácidos graxos poliinsaturados ômega-3. A atividade bacteriana se caracteriza como um dos principais mecanismos de deterioração do pescado, por estes possuírem Aa elevada, composição química, teor de gorduras insaturadas facilmente oxidáveis e, sobretudo, o pH próximo da neutralidade. No município de Currais Novos/RN o principal local de venda de peixes e filés de Tilápia é o Mercado Modelo Nerival Araújo. O presente trabalho trata-se de uma pesquisa descritiva, com coleta em campo e análise laboratorial no qual foram coletadas no Mercado Central três amostras de filés de tilápia (Oreochromis niloticus) para se realizar análises microbiológicas para o isolamento e confirmação bioquímica de cepas bacterianas de Escherichia coli, Salmonella sp. e Staphylococcus aureus para o estoque e uso em aulas práticas de microbiologia de alimentos do curso Técnico em Alimentos. Procedeu-se análises microbiológicas seguindo os padrões da IN 62 do MAPA e segundo o Manual de Métodos de Análise Microbiológica de Alimentos. A partir das análises isolaram-se todas as cepas desejadas, devidamente confirmadas por provas bioquímicas e que posteriormente foram depositadas na Bacterioteca do Laboratório de Microbiologia de Alimentos/Biologia Molecular do IFRN Campus Currais Novos.

Texto completo: PDF