Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Utilização de leguminosas nativas e exóticas na recuperação de solos degradados da Zona da Mata de Pernambuco
CHRISTIANNE TORRES DE PAIVA, MARIA JOSÉ DE FREITAS, JANAINA NAIR DA SILVA

Última alteração: 2012-08-15

Resumo


A crescente multiplicidade de solos degradados nas regiões tropicais, em decorrência de diversas ações antrópicas, exige que as atividades de pesquisa sejam direcionadas para geração de conhecimentos científicos e tecnológicos adequados à realidade sócio-econômica-ambiental destas áreas. Neste contexto, o presente trabalho avaliou o desenvolvimento de leguminosas nativas e exóticas inoculadas com rizóbio e fungos micorrízicos arbusculares e plantadas em solo degradado proveniente do município de Vitória de Santo Antão, localizado na Zona da Mata de Pernambuco. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, utilizando-se o delineamento experimental em blocos completos casualizados com 9 tratamentos, 5 espécies de leguminosas (sabiá (Mimosa caesalpinaefolia), Leucena (Leucaena lecocephala), Algaroba (Prosopis juliflora), Sucupira (Bowdichia virgiloides), Sesbania (Sesbania exasperata)) e 4 repetições, totalizando 180 parcelas. Para análise dos resultados foi feita análise de variância e comparação das médias dos tratamentos pelo Teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade. Os parâmetros considerados na análise relativos ao desenvolvimento das plantas foram: altura, diâmetro e produção de matéria seca. Os resultados obtidos indicaram que para as leguminosas exóticas algaroba, leucena e sabiá, os parâmetros de desenvolvimento não foram afetados pela dupla inoculação (rizóbio + fungos micorrízicos arbusculares). Já, nas leguminosas nativas sesbania e sucupira, a dupla inoculação beneficiou o desenvolvimento destas plantas. Neste contexto, conclui-se que, especialmente as espécies florestais nativas quando inoculadas com rizóbio e micorrizas, apresentam grande potencial para uso em programas de recuperação de solos degradados em condições similares às da Zona da Mata pernambucana.

Texto completo: PDF