Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DO CONSUMO DE EMBUTIDOS ASSOCIADOS À HIPERTENSÃO ARTERIAL EM MULHERES DE LIMOEIRO DO NORTE - CE
Senhora Michelle Souza, Senhor Freire Martins, Senhora Darly Freire, Senhora Viviane Santiago, Senhora Vannusa Vieira, Senhora Erbenia Pereira

Última alteração: 2012-07-18

Resumo


No passar dos anos é perceptível o aumento no número de indivíduos portadores de hipertensão arterial sistêmica, a qual é caracterizada por alterações do débito cardíaco e ou resistência vascular periférica. Muitos fatores influenciam para o surgimento da hipertensão arterial sistêmica, como por exemplo, o hábito alimentar, visto que a população está consumindo cada vez mais embutidos, que são ricos em sódio, sendo este um fator de risco para o desenvolvimento dessa doença crônica não transmissível. O presente estudo tem como objetivo analisar o consumo de embutidos associado ao surgimento de hipertensão arterial sistêmica, em um grupo de mulheres de Limoeiro do Norte – CE. A pressão arterial foi classificada de acordo com a VI Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial, 2010. Para avaliar o consumo de embutidos foi utilizado um questionário de consumo alimentar, o qual foi analisado de acordo com preconizações do Ministério da Saúde, 2008. Das 77 mulheres avaliadas, 68,84% apresentavam pressão arterial normal, 18,18% apresentavam pressão arterial limítrofe e 12,98% apresentavam pressão arterial elevada. Quanto a freqüência do consumo de embutidos verificou-se que 50% consumia embutidos e tinham pressão arterial normal, e 21,74% consumiam embutidos e tinham pressão arterial elevada. Diante do baixo índice de indivíduos que têm pressão arterial elevada e consomem embutidos ressalta-se a necessidade de estudos mais aprofundados, utilizando o maior número de variáveis a fim de investigar as possíveis causas da hipertensão arterial no grupo estudado.


Texto completo: PDF