Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
SÍNTESE PELO MÉTODO DO CITRATO PRECURSOR PARA A FERRITA DE NiZn
Daniel Felipe Alves, Francilene Santos Cunha, Ulisandra Ribeiro Lima, Gina Thamiris Rocha, Robson Oliveira Morais

Última alteração: 2012-10-19

Resumo


A ferrita de Ni1-xZnxFe2O4, com  x=0,5foi sintetizada pelo método dos citratos precursores com o objetivo de obter materiais com boas propriedades magnéticas. Os precursores resultantes foram calcinados entre 350 e 1100°C/3h e caracterizados por análise termogravimétrica (TGA), espectroscopia de infravermelho (FTIR), difração de raios X (DRX) e magnetometria de amostra vibrante (MAV). A evolução das fases foi analisada variando o tempo de calcinação. A curva TGA indicou perda de massa na região de 200 até 800°C, cessando  após 800ºC. Por DRX e com uso do método de refinamento de Rietveld foi observado que o tamanho do cristalito cresce com a temperatura de calcinação. Em temperaturas superiores a 500ºC/3h é necessário o controle de calcinação, a fim de impedir a formação de fases secundárias e favorecer a formação de fase única do tipo espinélio. As medidas magnéticas para as amostras calcinadas a 1100°C foram de 84,62 emu/g para a ferrita de NiZn. As medidas magnéticas revelaram características de um material ferrimagnético, também conhecido como material magnético mole, onde ambas composições apresentaram campo coercitivo e magnetização com resultados aproximados viabilizando sua aplicação como dispositivos ferrimagnéticos

Texto completo: PDF