Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Condições higiênico-sanitárias do pescado comercializado em feiras livres e mercados na Região do Cariri cearense
Francinilda Araujo Pereira, Rafael Ferreira da Rocha

Última alteração: 2012-10-16

Resumo


O desenvolvimento da Aquicultura é capaz de incrementar a produção de alimento, reduzir a pobreza e garantir uma melhoria da qualidade de vida das pessoas que com ela lida. Em meio à Aquicultura, destaca-se a Piscicultura, que possibilita a produção de alimentos oriundos da pesca, tanto no cultivo de subsistência, como na comercialização, proporcionando a melhoria da renda. Mas, para ser consumido, o pescado deve se apresentar íntegro, livre de parasitas, de doenças microbianas, de lesões, com cheiro e sabor próprios, que não sejam provenientes de águas contaminadas ou poluídas, ou sejam recolhidos mortos. Para tanto, é necessário que os fatores Tempo x Temperatura x Higiene sejam devidamente observados. Considerando esse contexto, o presente trabalho visa analisar as condições higiênico-sanitárias do pescado comercializado em feiras livres na região metropolitana do Cariri cearense. A coleta dos dados constantes desse trabalho, que decorreu de Entrevistas Individuais, realizadas com feirantes  dos municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, teve como método a análise de conteúdo. Tais entrevistas foram realizadas por alunos do Curso Subsequente em Agropecuária do IFCE - Campus Crato, em atividades da disciplina de Aquicultura, ministrada em 2012.1. Os resultados  mostram que não existem boas práticas na manipulação do pescado comercializado nas cidades pesquisadas. Podemos supor, diante do quadro apresentado após as entrevistas, que a ausência de políticas públicas e informações  para garantir a higiene do comércio  de pescado em feiras livres - como a obrigatoriedade de alvará, boas praticas no manejo, infraestrutura e venda, fiscalização da vigilância sanitária municipal e treinamento dos feirantes - seja hoje a principal causa da situação em que se encontra este tipo de comércio nessas cidades. Esta condição agrava-se ao somar o despreparo, o desinteresse e a falta de conhecimento dos comerciantes

Texto completo: PDF