Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Comércio informal de plantas medicinais: características da comercialização, crenças no uso e perfil socioeconômico dos feirantes de Lagoa Nova, RN
Francisco Angelo Gurgel da Rocha, Leysa Silva Guedes de Araújo, Tuíza Galgani Dantas Lima, Edyjancleide Rodrigues da Silva, Patrícia Adriana Silva, Milena Khrislaine de Medeiros Gundim

Última alteração: 2012-07-28

Resumo


O uso de plantas medicinais é um traço cultural presente em todos os povos, sendo a sua comercialização principalmente realizada em feiras livres.  As condições de inadequadas presentes nos pontos de venda,  associadas à crença de que “o que é natural não faz mal”,  podem resultar em agravos à saúde dos consumires. Objetivamos caracterizar o perfil socioeconômico dos comerciantes de plantas medicinais do município de Lagoa Nova/RN, descrevendo seus  métodos de armazenamento e exposição, bem como suas crenças em relação à segurança no uso de tais recursos terapêuticos. Foram realizadas entrevistas, orientadas por formulário estruturado. Dos entrevistados, 60% eram negros, 20% pardos e 40% brancos; O sexo masculino predominou, com frequência correspondente a 60% dos casos. Quanto à Escolaridade, 60%  relatou não ter concluído nenhum nível. À esta parcela dos entrevistados correspondeu a faixa de renda familiar mais baixa, inferior a 1 salário mínimo. A transmissão do conhecimento etnobotânico e do ponto de comercialização eram predominantemente familiar, atingindo percentual de 75%.  As condições estruturais e de higiene nos pontos de venda eram precárias. Os entrevistados desconheciam os riscos potenciais à saúde dos usuários presentes no uso inadequado de plantas medicinais. 


Texto completo: PDF