Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
CONDIÇÕES HIGIENICO-SANITÁRIAS DOS LOCAIS E DAS COMIDAS DE RUA VENDIDAS NO MUNICIPIO DE AÇAILÂNDIA – MA
TATIANA OLIVEIRA DOS SANTOS LEAL, FABIANA DE OLIVEIRA PEREIRA, MARIA LUDMILLA SILVA DE OLIVEIRA, NATHALIA NUNES LEITE

Última alteração: 2012-10-17

Resumo


Os alimentos de rua estão cada vez mais atrelados à escolha do consumidor sendo que apresentam aspectos positivos devido a sua importância socioeconômica, cultural e nutricional além de serem mais baratos e acessíveis à população, e também aspectos negativos no que diz respeito às questões higiênico-sanitárias. Quando vendidos nas ruas podem representar um problema de saúde pública, pois muitas vezes são preparados e vendidos sem a adequada higienização, podendo colocar em risco a saúde do consumidor. A falta de condições adequadas e os descuidos, ou muitas vezes a ausência de informações das técnicas corretas de higiene, bem como a temperatura de armazenamento e o tempo de exposição desde a preparação até a comercialização desses produtos e de seus complementos, soa fatores importantes e fundamentais para a multiplicação de bactérias, fazendo com que esse alimento possa veicular uma variedade de micro-organismos, deteriorantes e/ ou patogênicos, tornando-se uma preocupação para os consumidores, em função dos riscos das doenças transmitidas por alimentos, aos quais estão expostos. Com o objetivo de avaliar o grau de contaminação microbiológica das comidas de rua, foi realizada uma pesquisa de campo onde foram sondados os principais locais de vendas de alimentos comercializados em vias públicas da cidade de Açailândia. Foram selecionados 3(três) locais de venda de alimentos, onde coletou-se 3(três) amostras das comidas comercializadas em cada local de venda, totalizando 9 amostras. Após análises observou-se que as amostras apresentaram valores de coliformes totais, equivalentes a 77,8% e quanto à contagem de bactérias mesófilas, 100% delas estavam contaminadas, indicando a necessidade de melhoria na qualidade higiênica dos manipuladores de alimentos, assim como nos locais de comercialização desses. Após a obtenção de todos os resultados foram elaboradas palestras educativas direcionadas aos vendedores com o intuito de alertá-los para os principais e possíveis riscos para a saúde dos consumidores.


Texto completo: PDF