Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Comparação entre métodos de purificação de óleos vegetais por degomagem visando à produção de biodiesel
MARCELO MARIANO MORAIS, Wirlem Silva Alves, Efraim Costa Pereira, Aziel Garcia de Araujo, Marcos Antônio de Sousa Silva, José Sebastião Cidreira Vieira

Última alteração: 2012-08-29

Resumo


Comparação entre métodos de purificação de óleos vegetais por degomagem visando produção de biodiesel relaciona as técnicas de degomagem ácida e aquosa  para remoção ou inativação dos fosfatídeos e demais impurezas após a extração dos óleos brutos. Tais inconvenientes prejudicam o rendimento na obtenção de biodiesel durante a reação de transesterificação. O método da degomagem é bastante utilizada no setor industrial para purificar óleos brutos. Os óleos de coco babaçu e de copaíba vêm sendo utilizados na produção de biodiesel, entretanto, precisam ser previamente tratados para a retirada da goma e dessa forma facilitar a solubilidade dos fosfatídeos que interferem na qualidade e estabilidade do produto final. Foram adicionados 5% de ácido fosfórico ao óleo de babaçu e de copaíba aquecidos a 70°C durante 30 minutos aumentando a solubilidade dos fosfatídeos e outras impurezas. Em seguida os óleos foram decantados, separados, neutralizados, centrifugados e finalmente desumificados. Procedimento análogo foi realizado no tratamento dos referidos óleos substituindo o ácido fosfórico por água. Os resultados obtidos revelaram que houve mudanças nas propriedades físico-químicas dos óleos de babaçu e copaíba, tornando-os aptos ao processo produtivo de biodiesel. Em termos econômicos para produção de biodiesel é aconselhável tratar as matérias-primas oleaginosas pela técnica de degomagem aquosa desde que seja utilizada a neutralização dos ácidos graxos livres e consequentemente eliminação dos fosfatídeos hidrofóbicos na borra. A degomagem ácida tem como vantagem a inativação e/ou redução de fosfatídeos hidratáveis e não hidratáveis, porém os custos com este processo aumentam consideravelmente.

Texto completo: PDF