Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Avaliação do Potencial e da Capacidade de Desnitrificação em Sistema Pós-D de Tratamento de Esgoto
Dayane Andrade Lima, Kilmária Gondim Silva, Jéssica Nogueira Bezerra, Heraldo Antunes Silva Filho, Elivânia Vasconcelos Moraes dos Santos

Última alteração: 2012-10-19

Resumo


No tratamento biológico dos esgotos domésticos e industriais o uso de reatores aeróbios tem ganhado grande destaque devido à sua alta eficiência na remoção de grande parte dos poluentes como matéria orgânica os nutrientes nitrogênio e fósforo. Estes podem causar poluição nos corpos hídricos quando lançados sem nenhum tratamento podendo impossibilitar o uso da água. Dentre os sistemas aeróbios destacam-se os sistemas de lodo ativado, que em determinadas condições, pode ocorrer remoção do nitrogênio por meio da desnitrificação, essas condições resumem-se na presença de bactérias facultativa, presença de nitrato ou nitrito, presença de material orgânico e ausência de oxigênio.   Nessa perspectiva, foi proposto avaliar o potencial e a capacidade de desnitrificação em sistemas de lodo ativado do tipo pós-D, onde foi montado e operado um sistema de lodo ativado com essa configuração e instalado no Laboratório de Controle Ambiental (LCA) do IFCE, Campus Limoeiro do Norte. O potencial de desnitricação foi calculado a partir da amônia de entrada em kg/L multiplicada pela vazão em L/dia, ou seja, obteve-se um valor referente à carga de nitrogênio amoniacal e considerou-se insignificante a concentração de nitrogênio orgânico (biofloculada no lodo), nitrato e nitrito afluentes, resultando num potencial de desnitrificação médio de 9,09 Kg/dia. Para os cálculos da capacidade foram utilizadas equações específicas do modelo simplificado de lodo ativado (VAN HAANDEL; MARAIS, 1999) resultando numa capacidade de desnitrificação média de 15,75 mg/L-1.


Texto completo: PDF