Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
USO DE ÍNDICES DE QUALIDADE DE SOLO E DE FITOSSANIDADE PARA AVALIAÇÃO DA SUSTENTABILIDADE DE SISTEMAS ORGÂNICOS DE PRODUÇÃO.
Silvana Barbosa

Última alteração: 2012-09-13

Resumo


A sustentabilidade de agroecossistemas monitorada por indicadores de fácil manipulação pelos agricultores. Com o objetivo de desenvolver um método para avaliar a sustentabilidade de sistemas orgânicos de produção, definiu-se, em reuniões com agricultores, estudantes, extensionistas e pesquisadores, que trabalham com agricultura orgânica no Vale do São Francisco, indicadores de qualidades de solo e de fitossanidade com estreita correlação com o equilíbrio de sistemas agroecológicos de produção e de fácil aplicação e interpretação pelo agricultor. Foram priorizados como indicadores da qualidade de solo: 1- matéria orgânica; 2 – compactação; 3- salinidade; 4- fauna do solo; 5 - diversidade de plantas espontâneas; 6- cobertura do solo; 7- erosão; 8- água no solo; 9- macro fauna; e 10- diagnose visual de deficiência de nutrientes. Os indicadores de qualidade de fitossanitária foram: 1 - cor e vigor da planta; 2 – presença de inimigos naturais; 3 - freqüência de visitas de animais silvestres; 4 – freqüência de visitas de polinizadores; 5 – ocorrência de galhas de nematóides; 6 – ocorrência de moléstias, 7 – ocorrência de podridões; 8 – ocorrência de sugadores; 9 – ocorrência de mastigadores; e 10 - ocorrência de frutos deformados pela ação de pragas. Esses foram determinados em uma área sob manejo agroecológico e em uma outra sob cultivo convencional. Na avaliação  dos indicadores atribui-se notas de 0 (situação indesejável) a 10 (situação mais desejável ou adequada). As notas foram apresentadas em gráficos tipo radar. Estimou-se para o sistema orgânico, pela média aritmética dos indicadores, um índice de qualidade de solo de 8,0 e um índice de qualidade fitossanitária de 2,86. Isto revelou uma boa qualidade do solo e uma péssima qualidade fitossanitária. O método usado mostrou-se adequado para monitorar a sustentabilidade uma vez que o índice de qualidade indica o grau de desequilíbrio do sistema e o gráfico radar mostra os indicadores que estão mais distantes do seu ótimo.


Texto completo: PDF