Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Avaliação Nutricional de pacientes hipertensos acompanhados por equipes da Estratégia de Saúde da Família na cidade de Limoeiro do Norte CE
Thiago de Sousa Ferreira, Natália Maria Ribeiro Maia, Francisca Andréa Kércia Silva, Criatiano Silva da Costa, Daniele Holanda Diógenes, Jânia Maria Augusta da Silva

Última alteração: 2012-08-01

Resumo


 A hipertensão é uma patologia que apresenta alta taxa de mortalidade devido as suas complicações. Sua prevalência é verificada em pessoas de idade avançada, podendo ser relacionada à Relação Cintura Quadril (RCQ) e Índice de Massa Corpórea (IMC) elevados. Assim sendo, este trabalho teve como objetivo avaliar o estado nutricional de pacientes com hipertensão arterial, acompanhados por uma equipe da Estratégia Saúde da Família, de uma unidade básica de saúde de Limoeiro do Norte - CE. Os dados foram obtidos através de questionário de consumo alimentar (SISVAN, 2012) e coleta de medidas antropométricas de Circunferência da Cintura (CC), Circunferência do Quadril (CQ), peso, altura e idade para cálculo de IMC. Entre os produtos in natura as frutas foram as que apresentaram maior valor com 69,57%. Entre os industrializados os mais consumidos foram os biscoitos salgados e salgadinhos de pacote com 39,13%. Foram encontrados valores que demonstram  baixo consumo de saladas cruas e legumes e verduras cozidas, batatas fritas e outros salgados, embutidos, doces e chocolates e refrigerantes. Demonstrou em contraste, o alto consumo de feijão e leite, porém esses alimentos apresentaram valor significativo de rejeição. A classificação pelo IMC apresentou valores de 25,00% de adultos eutróficos, 50,00% adultos pré-obesos e 25,00% de adultos com obesidade grau I. Os idosos mostraram o maior percentual de eutrofia com 54,55% contra 45,45% com excesso de peso. De acordo com a classificação da RCQ foram encontrados valores de 41,67% de adultos com risco de desenvolvimento de complicações metabólicas relacionadas à obesidade e 58,33% sem risco. Entre os idosos foram encontrados 54,55% com o risco contra 45,45% sem ricos. De acordo com os resultados, vê-se a necessidade de um acompanhamento nutricional sistemático com estes pacientes, no sentido de contribuir para a promoção de mudanças de seus hábitos para o alcance de uma vida saudável.


Texto completo: PDF