Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Estudo da Atividade Citotóxica de Cleome spinosa Jacq. com o uso de Artemia salina
SHEYLA FERREIRA LIMA-COELHO, Bruna Damares Cavalcanti da Silva, Aldo da Silva Oliveira, Luana Mayara Silva de Oliveira, Laura Emília Araújo, Luciana Mayara Mendonça de Almeida

Última alteração: 2012-09-29

Resumo


Mundialmente, muitas espécies de plantas medicinais são utilizadas para o tratamento de doenças. No entanto, a maioria dessas espécies não foram suficientemente estudadas, principalmente quanto à presença de substâncias citotóxicas/mutagênicas em sua composição ou decorrentes do próprio metabolismo e podem causar danos à saúde da população. Plantas de C. spinosa foram coletadas e levadas ao laboratório do IFAL- Palmeira dos Índios onde foram feitos bioensaios de citotoxidade utilizando-se náuplios de Artemia salina com 48h expostos a diferentes concentrações de diferentes extratos vegetais e a mortalidade das artêmias foi calculada. O extrato feito a partir da flor apresentou-se como o mais citotóxico, seguido pelo extrato da flor+folha; da folha e por fim da raiz na concentração de 10%. Já para a concentração de 50% temos como mais citotóxico o extrato de flor+folha, que causou a morte de 100% dos indivíduos submetidos a este tratamento. O melhor resultado (baixa toxicidade) foi encontrado para o uso da folha da planta em FO10, que não apresentou diferença estatisticamente significativa se comparado ao controle, apresentando a taxa de mortalidade de 24,12%. O uso de C spinosa não foi recomendado É de grande importância ter o conhecimento citotóxico da C. spinosa pra servir de segurança para população que utiliza chás e lambedores como alternativas no tratamento de doenças.

Texto completo: PDF