Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
UTILIZAÇÃO DA QUITOSANA COMO INIBIDOR DE CORROSÃO EM METAIS
SHEYLA FERREIRA LIMA-COELHO, ABEL COELHO DA SILVA NETO, Luciana Mayara Mendonça de Almeida, Laura Emília Araújo, Luana Mayara Silva de Oliveira

Última alteração: 2012-08-13

Resumo


A corrosão na superfície do metal implica na sua fragilização e, com isso o desenvolvimento de sistemas protetores a superfície do metal é indispensávelEstima-se que cerca de 16 a 20 bilhões de dólares ao ano são perdidos por peças metálicas corroídas ou com sua reparação. Além disso, a corrosão traz consequências com custos sociais (acidentes, durabilidade restrita), contaminação ambiental por vazamentos ou por materiais corroídos deixados em ferros-velhos, por exemplo. As camadas protetoras constituem uma importante prevenção contra a corrosão. E, sendo a quitosana de fácil obtenção, por ser encontrada em abundancia na natureza e por ser proveniente da casca de crustáceos, e esta formar filmes de adesão a superfícies metálicas, tornando-se assim, uma candidata interessante para o estudo. Para a realização do estudo, o processo foi dividido nas seguintes etapas: obtenção da solução de quitosana, recobrimento das placas, secagem, imersão das placas em meio corrosivo e análise da corrosão. A partir dos resultados obtidos pode-se concluir a eficácia do filme de Quitosana na inibição da corrosão dos metais que foram alvo deste estudo, justificando assim o seu uso a partir desta confirmação. 

Texto completo: PDF