Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Interferência de óleo de citronela (Cymbopogon winteriannus Jowitt) sob tesourinhas pretas (Euborellia annulipes)
Maria de Fatima Emanuelle Alexandre Pessoa, Rodilma Santos Almeida, George Marx de Sousa Batista, José Junior Araújo Sarmento, Joserlan Moreira, Paulo Alves Wanderley

Última alteração: 2012-10-18

Resumo


O óleo de citronela (Cymbopogon winteriannus Jowitt) e as dermapteras têm apresentado de forma individual, benefícios eficazes na eliminação de pragas em produções agrícolas, mais especificamente no combate de pulgões. Porém, há falta de informações sobre a sua toxicidade sobre os inimigos naturais. Assim, o presente trabalho analisou o efeito de diversas concentrações de citronela, sob a Euborellia annulipes, verificando a mortalidade e a mobilidade do inseto. A pesquisa foi desenvolvida no Laboratório de Entomologia e Apicultura do IFPB-Campus Sousa, e para analisar as correlações das variáveis foram utilizados dez repetições e cinco tratamentos, os quais foram compostos de água destilada e detergente (0,5%), sendo distribuídas as concentrações de óleos da seguinte forma: Tratamento 0 - 0,0% (grupo controle); Tratamento 1 - 0,5%; Tratamento 2 - 1,0%; Tratamento 3 - 1,5% e Tratamento 4 - 2,0%. Em cada repetição foram distribuídos casais das dermapteras estando no 5º instar, seguindo os padrões de ambiente, alimentação e manutenção da umidade conforme pesquisas anteriores. Observou-se com esta pesquisa que as concentrações de óleo de citronela quando usado a 0,0%, 0,5%, 1,0% e 1,5% não apresentam modificações na biologia das tesourinhas e que ao utilizar misturas do óleo a partir de 2,0% pode causar mortalidade. Deste modo, as concentrações do óleo de citronela entre 0,5% a 1,5% causam o mínimo de efeito sob a Euborellia annulipes, fazendo com que a utilização deste inseticida natural e o controle biológico possam ter seus efeitos somatizados, na busca da supressão do pulgão.

Texto completo: PDF