Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Perspectivas científicas sobre a inserção do Sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth) no semiárido nordestino: uma visão para o estado do Ceará
Christian Lyon Leite Santos, Cícero Samuel Silva, Girlaine Souza da Silva Alencar, Francisco Hugo Hermógenes Alencar, Caroline Assis Silva, Gleiciane Sales Souza

Última alteração: 2012-10-19

Resumo


A adaptação do Sabiá às características climáticas de aridez é fator que precisa ser cada vez mais estudado e expandido. O potencial paisagístico oferecido por essa espécie pioneira nos traz uma alternativa limpa e eficiente na recuperação de áreas degradadas e combate ao processo de desertificação. Este artigo tem como objetivo avaliar as perspectivas científicas econômicas e ecológicas oferecidas pelo Sabiá no semiárido nordestino, tendo como foco o estado do Ceará. Para tanto, foram realizadas pesquisas bibliográficas em artigos, livros, teses e sites relacionados ao tema. Constatou-se que as características adaptativas peculiares desta espécie leguminosa pioneira favorecem o enriquecimento em termos de matéria orgânica do húmus do solo no Ceará, impulsionando o processo de formação de ecossistema de uma forma rápida e sustentável. Na economia, as características energéticas oferecidas pela madeira produzida pela espécie possibilitam o seu uso como substrato energético na produção industrial. Na comunidade rural, o sabiá oferece alimentação nutritiva aos animais em tempos de baixa pluviometria, além de ser usada como matéria prima para construções rurais diversas como cercas, mourões, esteios e forquilhas. Sob as perspectivas supracitadas, conclui-se que o sabiá constitui uma alternativa ecologicamente viável como método de mitigação às condições ambientais impostas pela climatologia semi - árida que caracteriza a região.  A sua inserção condiz com um método eficiente e sustentável de combate à desertificação e ao êxodo rural, bem como o fortalecimento econômico, diminuindo os aclives sociais e promovendo o desenvolvimento de um ambiente ecologicamente equilibrado não só no estado do Ceará, mas também em todo semiárido nordestino.   


Texto completo: PDF