Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Estudo Epidemiológico das Características de Mortalidade por Acidentes de Trânsito no Munícipio de Crato - Ceará
Wládia Lima de Morais, Richardson Dylsen de Souza Capistrano

Última alteração: 2012-09-06

Resumo


O conhecimento das causas da mortalidade da população é um dado extremamente importante, pois retrata uma particularidade relevante dos motivos que ocasionam os óbitos de uma região. Estudar as características das mortes por acidentes de trânsito pode contribuir para a formação de um diagnóstico, assim como para medidas de prevenção e controle das causas de acidente. Objetivo: Analisar a situação epidemiológica relacionado aos óbitos ocasionados por acidentes de trânsitos ocorridas no município de Crato, Ceará. Material e Métodos: A pesquisa decorreu de um estudo documental, descritivo-exploratório. As informações foram obtidas através do Sistema de Informação de Mortalidade-SIM da Secretária de Saúde do Município de Crato. Foram selecionados os óbitos decorrentes de acidentes de trânsito, ocorridos na área geográfica do município, entre 2006 e 2008. Recorreu-se a estatística descritiva de média e desvio padrão (DP) e cálculos de freqüências e percentuais, para analise dos dados. Resultados: No triênio o gênero masculino apresentou um total de 69 óbitos (23 ± 8,19) e o gênero feminino 8 óbitos (2,67 ± 1,15), totalizando 77 óbitos (25,67 ± 7,37). A predominância dos óbitos (59,6%) foi entre os 15 a 34 anos de idade. Os acidentes envolvendo carros representaram 30%, acidentes com motocicletas 13% e acidentes envolvendo pedestres com 14%. O politraumatismo e o traumatismo intracraniano representaram 79% das mortes por acidentes de trânsito. Conclusão: A dinâmica e os resultados apresentados poderiam ser diferentes, considerando os aspectos legais vigentes no país. O Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) pode dar subsídios para a prevenção de agravos evitáveis, assim como a adequação da assistência às vítimas. Sugere-se mais estudos com essa temática, bem como mais trabalhos educativos por parte dos órgãos públicos e entidades ligadas a vítimas de trânsito sobre a importância da educação e respeito a vida por parte do condutores e pedestres.

Texto completo: PDF