Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
SELEÇÃO E CULTIVO DE LODO NITRIFICANTE EM ETAR
Jéssyca de Freitas Lima, Dayane de Andrade Lima, Danikelly Silva Damasceno, Elivânia Vasconcelos Moraes dos Santos, Heraldo Antunes Silva Filho, Jarbas Rodrigues Chaves

Última alteração: 2012-09-10

Resumo


A água pode ser utilizada de diversas maneiras, e na totalidade dos seus usos, agregam-se impurezas de diversas naturezas, caracterizando a necessidade de tratamento dessa água para o posterior lançamento no ambiente ou uso imediato na forma de reuso. Dentre os possíveis tratamentos previstos, destacam-se os sistemas biológicos aeróbios, que apresenta um ótimo desempenho na remoção de sólidos em suspensão, matéria orgânica e nutrientes (nitrogênio e fósforo). Para remover o nitrogênio é necessário um sistema onde ocorra a nitrificação seguida da desnitrificação, onde as bactérias responsáveis por esse processo são as nitrificantes e as desnitrificantes, porém elas são muito difíceis de serem cultivadas e mantidas no sistema, principalmente em função da sua pequena taxa de duplicação (µm entre 0,2 a 0,35 d-1) e da sensibilidade a mudanças de pH. O objetivo dessa pesquisa é buscar o melhor procedimento para se cultivar bactérias nitrificantes, evitando erros no seu monitoramento. Nesse contexto, foram montados e operados quatro sistemas (C, R1, R2 e R3), onde um era o controle (C) alimentado com esgoto bruto, que serve como referência para os outros sistemas, caracterizando como será o crescimento da biomassa em condições normais. Outro se cultivava nitrificantes (R1), outro nitratantes (R2) e o último as nitrificantes por completo (nitrificantes+nitratantes) (R3). Com os resultados obtidos percebe-se que o sistema que obteve o melhor cultivo foi o que se cultivava nitrificantes (R1), pois em algum momento essas bactérias predominaram mais que as heterotróficas, e nos demais sistemas o crescimento satisfatório (acima do controle) não existiu em função da grande variação do pH do meio, que caia constantemente. Devido a mudança da matriz na alimentação, foi necessário adição de carbonato de sódio para elevar o pH e cal para dar alcalinidade nos sistemas e manter o pH alto. Constatou-se que, em geral, não se estabeleceu uma predominância das comunidades desejadas, ora devido a problemas operacionais (pouco grau de agitação dos sistemas, pouca capacidade de aeração dos sopradores adquiridos, etc), ora por problemas do processo estudado, que tende a produzir H+ em meio aquoso, reduzindo drasticamente o pH caso não se tenha uma alcalinidade suficiente para resistir a queda. Para que esse cultivo seja satisfatório é necessário um monitoramento constante do pH (< 7,0 e > 8,5) e alcalinidade, se possível online.

Texto completo: PDF