Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Resistência ao Riscamento do Aço AISI H13 Nitretado Avaliada Em Ensaio de Esclerometria Pendular
Priscila França Monteiro, José Costa de Macedo Neto, José Luiz Sansone, Sandro Lino Moreira Queiroga

Última alteração: 2012-08-22

Resumo


O aço AISIH13 é amplamente utilizado na confecção de moldes para injeção de plástico e alumínio. Este estudo visa analisar a resistência ao riscamento deste aço após Eletroerosão e Nitretação a Plasma. Três conjuntos de corpos de prova foram produzidos: a primeira série denominada de referência é composta pelo aço apenas nitretado após a tempera e revenido; na segunda série as amostras foram nitretadas após eletroerosão e finalmente, na terceira série após a eletroerosão as amostras foram retificadas e polidas antes da nitretação. Os parâmetros da nitretação foram selecionados para obtenção somente de uma camada de difusão, utilizando-se de uma atmosfera com 5% de N, 75% de H e 20% de Ar, numa temperatura de 520ºC. Comparou-se a microestrutura resultante, o perfil de microdureza, parâmetros de rugosidade antes da esclerometria pendular e a resistência ao desgaste abrasivo. A observação microscópica da seção transversal das amostras após o processo de eletroerosão, mostrou que na superfície ocorreu nucleação de microtrincas, as quais atingiam até o substrato. Nos ensaios de esclerometria pendular de um único risco a série que foi nitretada após retífica e polimento apresentou um desgaste menor. O maior desgaste ocorreu na série em que o aço foi nitretado após a eletroerosão, evidenciando a nucleação das microtrincas. Quanto aos mecanismos de desgaste, uma maior tendência de adesão do aço para a ferramenta de metal duro ocorreu na segunda série.

Texto completo: PDF