Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Avaliação dos parâmetros sentinelas de qualidade da água de abastecimento das escolas municipais de Cabedelo/PB
Sildete Pereira da Silva, Lêda Faustino Mendes, Ane Josana Dantas Fernandes, Geane Pereira Ferreira, Maria Mônica Lacerda Martins Lúcio

Última alteração: 2012-10-18

Resumo


Considerando-se a importância da qualidade da água para consumo humano, principalmente de crianças e adolescentes, objetivou-se monitorar neste trabalho os indicadores sentinelas de padrão de potabilidade da água. Os parâmetros avaliados foram turbidez, cloro residual e pH, bem como a temperatura nas águas dos bebedouros das escolas municipais de Cabedelo/PB. O município conta com vinte e uma escolas municipais, onde todas foram incluídas na pesquisa. A cidade é abastecida pela Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa). A coleta das amostras foi realizada em duplicata durante os meses de Maio e Julho de 2012. As análises foram realizadas em triplicata e seguiram a metodologia indicada pelo Standard Methods for the Examination of water and Wasterwater (EATON, 1995). Os resultados foram discutidos considerando a Portaria N° 2914, de 12 de dezembro de 2011 do Ministério da Saúde, que regulamenta entre outros, o padrão de potabilidade da água para consumo humano. Observou-se que no primeiro período de coleta no mês de Maio de 2012, seis amostras (29%) apresentaram pH abaixo do recomendado e quatro amostras (19%) não possuíram cloro residual livre. Para o segundo período de coleta no mês de Julho de 2012, duas amostras (10%) tiveram pH abaixo de 6,00; uma amostra (5%) apresentou turbidez elevada de 19,30 u.T., e em 4 amostras (19%) o cloro residual esteve ausente. Estes dados indicam a existência de problemas de operação e manutenção tanto da rede de distribuição, quanto das caixas d’água. Em alguns setores, a tubulação da rede de distribuição pode estar sofrendo problemas de corrosão devido ao pH ácido e a ausência do cloro residual livre, em algumas escolas, sugere que a água não está sendo desinfectada satisfatoriamente.

Texto completo: PDF