Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Avaliação quantitativa da biomassa das culturas calopogônio e beterraba em sistema consorciado
Leonardo Dantas Marques Maia, Lúcia de Oliveira Lima, Andrezo Adenilton Santos, Adna Maelly Telles dos Santos

Última alteração: 2012-08-27

Resumo


O objetivo do trabalho foi avaliar a quantidade de biomassa produzida em sistema de consorcio, beterraba e calopogônio, em função do espaçamento empregado. Os ensaios de campo foram conduzidos na horta agroecológica do IF Sertão-PE, Campus Petrolina Zona Rural. O experimento é resultante do arranjo fatorial das duas espécies vegetais composto por quatro tratamentos, espaçamentos de 20, 30, 40 e 50 cm, e duas repetições. Após a colheita do material o mesmo foi levado ao laboratório de Analises de Solos e Plantas do IF Sertão-PE, onde foi realizada a pesagem do material, secagem e quantificação de biomassa fresca, seca e total de ambas as culturas. O adensamento provocado pelo curto espaçamento, no tratamento 1,  prejudicou o desenvolvimento do calopogônio. Isso pode ter sido devido à alta sensibilidade do calopogonio a luz. Houve uma queda sequencial de biomassa decorrente do afastamento das culturas. Não houve diferença significativa na quantidade de biomassa seca nas subamostra de calopogônio, parte aérea e raízes de beterraba. O curto espaçamento provocou uma maior interação da beterraba com a leguminosa consorciada, resultando em alta produção de raízes de beterraba. O consorcio de beterraba com calopogônio não é viável para o acumulo de biomassa, pois o maior sequestro de carbono é ocorrido em espaçamentos diferentes, inviabilizando o consorcio.

Texto completo: PDF