Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Conflitos socioambientais na Chapada do Apodi: contaminação e privatização da água
Virginia Pinheiro Gurgel, Odiane Barros Cruz, Diego Gadelha Almeida, Debora Lima Mendes, Leticia Lima Ferreira, Francisco Aragão Gomes de Moraes Junior

Última alteração: 2012-09-26

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar os conflitos socioambientais em torno do uso/acesso e dominação da água na Chapada do Apodi (CE). A implantação, no final da década de 1980, de políticas públicas para atração e difusão do agronegócio de fruticultura irrigada impôs uma disputa territorial entre empresas agrícolas, que tem como base de produção a utilização de agroquímicos e irrigação, e as comunidades rurais que habitam e/ou se instalaram a Chapada do Apodi. A investigação privilegiou dois eixos principais: a contaminação por agrotóxicos da água que abastece a população local e do aquífero Jandaíra e o uso e dominação da água pelas empresas agrícolas no processo de irrigação, impondo a privatização desse bem ambiental. Para realização da pesquisa executamos um levantamento bibliográfico, com destaque para os documentos produzidos pelo poder público, atas de audiências públicas, trabalhos de campo e entrevistas com os principais sujeitos envolvidos nos conflitos socioambientais. A pesquisa aponta que o atual processo de desenvolvimento impulsionado pelo Estado se materializam numa geografia desigual dos rejeitos e proveitos. Enquanto o grande capital recebe um conjunto de infraestruturas hídricas públicas para sua reprodução e garante a sua margem ampliada de lucro, as comunidades rurais recebem um conjunto de rejeitos: contaminação por agroquímicos da água que abastece a população local; contaminação por agroquímicos do aquífero Jandaíra e a privatização da água subterrânea, via irrigação, e exportação desse bem nas frutas para o mercado europeu e estadunidense. 

Texto completo: PDF