Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Sensor olfativo artificial baseado em SnO2 para análise da qualidade do biodiesel
Leonardo Tadeu Boaes Mendonça, Antonio Carlos Vasconcelos, Nazaré do Socorro Lemos Vasconcelos, José Hilton Gomes Rangel, Marcelo Moizinho Oliveira, Jomar Sales Vasconcelos

Última alteração: 2012-08-30

Resumo


Neste trabalho obteve-se SnO2 conformado na forma de pastilha com eletrodos de ouro interdigitais depositados sobre a superfície para ser utilizado na análise de qualidade de biodiesel. O material utilizado para a síntese foi o SnCl2.2H2O e o método de síntese foi o dos precursores poliméricos adaptado do método Pechinni. A resina formada foi calcinada a 500°C para a formação do pó e este foi conformado e sinterizado em três temperaturas: 700°C (Sn1), 900° (Sn2) e 1100°C (Sn3). Todas as amostras foram caracterizadas por espectroscopia na região do infravermelho, Difração de Raios X, FEG-MEV (Microscopia Eletrônica de Varredura por emissão de campo iônico), isoterma de adsorção e desorção pelo método BET e medidas elétricas. As técnicas de caracterização mostraram a formação da fase mineral cassiterita (estrutura cristalina do tipo rutilo), além de partículas com aspectos geométricos quase esféricos, médio grau de heterogeneidade no tamanho de partículas e alta porosidade superficial e no bulk. As medidas elétricas mostraram alta sensibilidade nos testes com etanol e suas misturas e também com diesel e suas misturas com biodiesel. A amostra Sn3 apresentou maior sensibilidade em comparação com os restantes das amostras e mostrou indicações de que pode ser seletivo na detecção de biodiesel adulterado com etanol e na quantificação deste último.


Texto completo: PDF