Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
A arquitetura de terra e o desenvolvimento sustentável na construção civil
Thaís Márjore Pereira de Carvalho, Wilza Gomes Reis Lopes

Última alteração: 2012-10-16

Resumo


Introdução: A humanidade empregava materiais naturais para edificar cidades, em diversas culturas e épocas. Com as inovações tecnológicas, grande parte destas técnicas foi esquecida. A milenar arquitetura de terra foi substituída aos poucos e, hoje, muitas vezes seu uso é associado à miséria e à pobreza. Acredita-se que a arquitetura de terra pode contribuir para a sustentabilidade na construção civil, por tratar-se de um material que envolve menor consumo energético, gerar menos rejeitos e ter baixa emissão de poluentes e de apresentar excelente durabilidade, versatilidade e viabilidade econômica, além de sua importância histórico-cultural. Objetivo: Discutir os aspectos da arquitetura de terra, em especial seus parâmetros construtivos, identificando seus pontos positivos e negativos, além das limitações às quais está submetida. Com isso, pretendeu-se analisar quais as reais chances desta técnica ser utilizada como um instrumento da construção civil, aliando sustentabilidade e bioarquitetura. Material e Métodos: Foi realizada revisão bibliográfica sobre arquitetura de terra, conforto ambiental e sustentabilidade, na tentativa de definir as características principais de cada técnica e suas aplicações. Resultados: A arquitetura de terra apresenta inúmeras vantagens, dentre elas: isolamento térmico, possibilidade de renovação interna do ar, baixo custo, reduzido impacto ambiental, facilidade de transferência tecnológica e, principalmente, o fato da terra crua ser reutilizável. Conclusões: Trata-se de uma solução construtiva excelente, pois além de eficiente e mais sustentável ainda pode se adaptar aos fatores bioclimáticos regionais.

Texto completo: PDF