Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Avaliação da quebra de dormência em sementes de jatobá e tamboril através de métodos químicos e físicos
Estella Guisi Bagio Zanetti, Izabel Cristina Glória de Sousa, Diniz Didier Dias, Mariana Pereira Moura Lima, Evercino da Costa Amorim, Thiago Magalhães de Lázari

Última alteração: 2012-10-17

Resumo


Espécies florestais com sementes duras frequentemente apresentam consideráveis problemas para os viveirista, porque seus tegumentos duros e impermeáveis à água dificultam e retardam a germinação.  Por isso, desenvolveu-se este experimento no viveiro de mudas situado na área experimental da Faculdade Católica do Tocantins. O objetivo do trabalho foi verificar a superação da dormência de sementes de jatobá (Hymenaea courbaril L) e tamboril (Enterolobium contortisiliquum) através de tratamento químico e físico. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com três tratamentos. Os tratamentos utilizados foram: T1- estratificação térmica em estufa de secagem com circulação de ar a 75° por 30 minutos, T2- imersão em ácido gibérelico com concentração de 0,3% por 30 minutos; T3- escarificação mecânica com utilização de esmeril; e testemunha. Os parâmetros avaliados foram: dias para germinação, diâmetro de caule, altura de planta e massa seca da parte aérea. Todos os tratamento para quebra de dormência foram eficientes em sementes de jatobá, já em sementes de tamboril a escarificação utilizando-se o esmeril foi eficiente.

Texto completo: PDF