Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Variabilidade espacial da matéria orgânica em floresta raleada consorciada com gramínea forrageira
Raimundo Laerton de Lima Leite, Antônio Clementino dos Santos, Sabino Pereira Silva Neto, Nayara Martins Alencar

Última alteração: 2012-08-21

Resumo


O entendimento da dinâmica da matéria orgânica em sistemas de florestas raleadas é importante para viabilizar o manejo eficiente do solo. O objetivo com esse estudo foi avaliar e quantificar a variabilidade espacial da matéria orgânica sob diferentes sistemas de manejo, em região de transição Cerrado-Amazônia. As coletas das amostras para determinação da matéria orgânica foram realizadas em malha regular de 4 x 12,5 m. O raleamento da floresta influenciou a redução dos teores de matéria orgânica no solo em todas as profundidades avaliadas, sendo que os maiores valores foram encontrados no sistema de floresta não raleada com 96,5% (±0,23) de sombreamento. A maior exposição do solo à ação de fatores climáticos, sobretudo temperatura e precipitação pluviométrica contribuiu para acelerar a decomposição da matéria orgânica nos sistemas onde se efetuou o raleamento da floresta e no sistema de monocultivo de Brachiaria brizanta cv. Marandu. A análise dos semivariogramas indicou que os atributos estudados apresentaram dependência espacial dentro da escala de espaço observada, nas três profundidades avaliadas, apresentando um alcance mínimo de 9,50 m e máximo de 210,9 m, o que permitiu o uso da técnica de krigagem na avaliação dos teores de matéria orgânica do solo.


Texto completo: PDF