Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Tendências genéticas de características de crescimento em rebanhos Nelore criados nos estados do Mato Grosso e Tocantins
Laryany Farias Vieira, Geneíldes Cristina de Jesus Santos, Jorge Luís Ferreira, Fernando Brito Lopes

Última alteração: 2012-10-17

Resumo


Objetivou-se estimar a tendência genética para pesos aos 120 dias (P120), 210 dias (P210), 365 dias (P365), 450 dias (P450) e peso aos 550 dias (P550) de idade em animais da raça Nelore criados a pasto nos estados do Mato Grosso e Tocantins, Brasil. Totalizando 41,518 registros de animais nascidos entre os anos de 1993 a 2010. As estimativas médias para P120 e P210 nos estados do Mato Grosso e Tocantins foram de 129,17±17,41 kg e 114,65±15,79 kg (P120) e de 186,85±25,19 kg e 164,49±23,19 kg (P210), respectivamente. Para as características pós-desmama (P365, P450 e P550 dias de idade), no Estado do Mato Grosso, as médias foram de 231,48±32,42 kg, 269,88±37,79 kg e 319,88±45,87 kg, respectivamente. Para o Tocantins estimou-se pesos médios de 217,54±36,71 kg, 252,64±41,92 kg e 297,87±51,98 kg, respectivamente para P365, P450 e P550 dias de idade.As herdabilidades diretas estimadas foram de magnitude moderada a alta, com possibilidade de seleção. O ganho genético para os estados de Mato Grosso e Tocantins foram de 0,655 e 1,334 kg/ano para peso aos 120 dias, 1,108 e 1,581 kg/ano para peso aos 210 dias, respectivamente. Para as características P365 (1,571 e 2,592 kg ano), P450 (1,572 e 3,123 kg ano), e P550 (2,057 kg e 6674 kg ano). Salientando uma seleção maior para pesos pós-desmama e consequentemente aumentando os custos de produção.

 


Texto completo: PDF