Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
O nível de atividade física na manutenção da autonomia para realização das atividades da vida diária (AVDS)
Cyntia Meneses de Sá Sousa, Andressa Noleto da Silva

Última alteração: 2012-08-30

Resumo


A autonomia é o setor mais afetado com o processo de envelhecimento, pois com o passar dos anos o organismo humano tende a sofrer um declínio natural de suas funções, o que consequentemente irá provocar a perda de capacidades básicas necessárias para realizar atividades diárias com autonomia própria. O presente trabalho tem como objetivo analisar a influência do exercício físico na manutenção da autonomia para realização das atividades da vida diária, em 60 idosas com idade entre 60 e 90 anos, associadas à Casa da Experiência, localizada na cidade de São João dos Patos – MA, identificando a possível relação entre prática de exercícios físico e atividades da vida diária em idosos fisicamente ativos (IFA) e idosos irregularmente ativos e sedentários (IIAS), avaliando o nível de dificuldade e o grau de autonomia. Para que análise fosse possível utilizaram-se como aspectos metodológicos uma pesquisa quantitativa e qualitativa, com aplicação do questionário de avaliação do nível de atividade física (IPAQ), onde a partir dos dados coletados fez-se uma divisão da amostra em dois grupos o dos (IFA) e dos (IIAS), para avaliar a capacidade funcional, a mesma foi realizada uma bateria de testes proposta pelo protocolo de Avaliação do Grupo de Desenvolvimento Latino Americano para Maturidade (GDLAM) compreendida por cinco testes: C10M, LPS, LPDV, VTC e LCLC. Nos resultados constatou-se que os (IIAS) demoraram mais que os (IFA) o que nos leva a concluir que com uma vida ativa é possível manter-se autônomo e viver um período de senescência com maior qualidade.

Texto completo: PDF