Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Qualidade do ar no ambiente interno e climatizados do restaurante central do IFMA campus Monte Castelo: Uma Avaliação Microbiológica
Rodrigo Gondim Duarte, Vivaldo Ribeiro Almeida, Carlos Henrique Melo Macêdo, Claudia Barbosa Castro

Última alteração: 2012-11-27

Resumo


A qualidade do ar em ambientes internos está relacionada aos componentes e as características do ar que podem afetar a saúde e o conforto dos ocupantes de um determinado espaço. Embora haja inúmeros contaminantes do ar, estes podem ser facilmente distinguíveis quanto a sua natureza, sendo classificados como químicos físicos ou biológicos ou, ainda, como sendo de origem biológica e não biológica. Os bioaerossóis são a microbiota dispersa no ar (fungos, bactérias, vírus, entre outros). Em sua primeira etapa este trabalho usou a técnica de exposição de placas de petri estéreis aos ambientes avaliados, estas placas contem o meio de cultura Agar Batata fundido e resfriado a 45°C em superfície plana para que aja sedimentação e se possa fazer a posterior contagem das colônias. Em seguida foi feita a exposição por 15 minutos, sem a tampa, no setor interno e climatizado do restaurante central do IFMA, campus Monte Castelo. Logo após as placas foram  fechadas e transportadas para o laboratório de Microbiologia e incubadas a ± 35ºC por 3 dias. Após a constatação do crescimento microbiano nas placas foi realizada a leitura pelo método de contagem das colônias, que se baseia em níveis de concentração dos microorganismos contaminantes e sua projeção em UFC/cm2, dependendo da metragem do espaço, segundo a Resolução nº 9/2003 da ANVISA para ambientes confinados a Ar refrigerado. Observou-se um crescimento acentuado nas placas que ficaram expostas no ar onde houve um crescimento de fungos.


Texto completo: PDF