Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
“O manguezal, o professor e a sala de aula” – Desenvolvimento de oficina sobre o ecossistema manguezal para professores da rede municipal de ensino de Macau-RN.
Dayana Lucia Rodrigues de Freitas, Adjaelma Célia Peixoto da Costa, Francilene Freire de Miranda, Aldo Alves de Melo, Jacleton Tibúrcio da Silva, Jefferson da Silva Barbosa

Última alteração: 2012-10-17

Resumo


O distanciamento do professor com o tema ecossistema manguezal é um dos problemas encontrados hoje nas comunidades escolares ribeirinhas.  A falta de conhecimento por parte do corpo docente ou a pouca informação sobre o assunto faz com que esses profissionais não abordem devidamente este tema em sala de aula. Este problema também foi encontrado na cidade de Macau/RN, onde a realidade do ecossistema manguezal não está contemplada devidamente nas salas de aula.  Por esse motivo, fez-se necessária a realização da oficina: “O manguezal, o professor e a sala de aula”, destinada aos professores da rede municipal de ensino. A oficina se propôs a discutir os conhecimentos relativos ao ecossistema manguezal, contextualizando-os com a realidade local, de modo a demonstrar como esse tema pode ser inserido no cotidiano escolar. A oficina foi realizada durante a II Exposição Científica, Tecnológica e Cultural (EXPOTEC) realizada pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), Câmpus Macau, que contou com a participação de um público formado por oito professores atuantes do Ensino Fundamental. Com o desenvolvimento da oficina foi possível constatar a necessidade de cursos de formação continuada para professores, inclusive aqueles que abordem temáticas relacionadas ao ecossistema manguezal. Os professores reconhecem que não possuem conhecimentos suficientes para a aplicação didática e interações sobre o tema manguezal em sala de aula, o que prejudica a divulgação e preservação das áreas estuarinas de nossa cidade. Foi observado também que as escolas possuem atividades voltadas para a Educação Ambiental, porém de forma mais ampla, sem abranger as necessidades e a realidade local. Por fim, é notório que a realização de oficinas e cursos sobre o ecossistema manguezal é de fundamental importância para a disseminação da cultura de preservação dos manguezais, pois, sem o conhecimento correto dessas áreas a preservação e valorização por parte da comunidade ficará cada vez mais difícil.


Texto completo: PDF