Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIOXIDANTE PELO MÉTODO DPPH DO EXTRATO DICLOROMETANO DAS FOLHAS DE Momordica charantia L.
MARIA FERNANDA FREITAS DE BRITO, LETICIE CARVALHO EVANGELISTA, NAYRA CINTHIA COSTA DE SOUZA, GEORGE LAYLSON DA SILVA OLIVEIRA, IVANALDO RIBEIRO DE MOURA, MANOEL DE JESUS MARQUES DA SILVA

Última alteração: 2012-08-17

Resumo


O uso de plantas medicinais no Brasil vem se consolidando nos últimos tempos em especial após a promulgação da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicas. O interesse pela descoberta de novos antioxidantes a partir de fontes naturais vem crescendo nos últimos anos, principalmente por prevenir a deteriorização de alimentos e minimizar o dano oxidativo às células vivas. Os métodos mais utilizados para determinar a atividade antioxidante in vitro são métodos varredores de radicais, a exemplo do DPPH. A espécie Momordica charantia L. pertence à família das cucurbitáceas, trata-se de uma trepadeira originária da Ásia e África que se adaptou facilmente ao Brasil em razão do clima tropical. Popularmente chamada de melão-de-São-Caetano é reconhecida na medicina alternativa por apresentar altos níveis fitoterápicos como, por exemplo: antibiótico, antimutagênico, antioxidante, antileucêmico, anti-diabético, citotóxico entre outros. As folhas de M. charantia foram coletadas em Teresina/PI no bairro Sacy, e logo após foi preparado o extrato etanólico e em seguida foi submetida à avaliação da atividade antioxidante pelo método do sequestro do radical DPPH. O extrato apresentou uma atividade antioxidante de aproximadamente 42 % na concentração de 150 μg.mL. Dessa forma, concluiu-se que a espécie M. charantia apresenta um considerável potencial antioxidante em comparação com os padrões.

Texto completo: PDF