Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
ELETRO-OXIDAÇÃO DO AZO CORANTE ACID RED 66 USANDO ELETRODO DE Ti/Ru0,3Sn0,7O2
Ana Carine da Silva Monte, Julie Anne Holanda Azevedo, Alice Charmilene Gomes Lima, Maria Lucimar Maranhão, Maria Ionete Chaves Nogueira, Rinaldo dos Santos Araújo

Última alteração: 2012-08-30

Resumo


Corantes azo se caracterizam por sua estrutura complexa e natureza recalcitrante. Sistemas convencionais de tratamento biológico, como o processo de lodos ativados, são ineficazes para remover esses corantes de águas residuárias. Diante disto, as tecnologias oxidativas conhecidas como Processos de Oxidação Avançadas (POAs) têm atraído uma crescente atenção técnica e científica por sua elevada eficiência de degradação e mineralização da matéria orgânica. Assim neste trabalho, empregou-se eletrodo óxido de Ru0,3Sn0,7O2 sobre substrato de titânio para a eletro-oxidação do azo corante Acid Red 66. A caracterização da superfície dos eletrodos foi feita por Microscopia Eletrônica de Varredura e a composição química foi determinada usando Espectroscopia de Energia Dispersiva de raios-X (EDX). Os experimentos de eletro-oxidação foram realizados utilizando uma solução de Na2SO4 0,25 mol/L como eletrólito, aplicando-se potenciais de 1,0; 1,25; 1,5 e 2,5V em um sistema eletroquímico composto pelo eletrodo de trabalho (Ti/Ru0,3Sn0,7O2), um eletrodo auxiliar (Pt), um eletrodo de referência (Hg/Hg2Cl2.KCl) e as soluções aquosas do corante (5 e 10 mg/L). Os maiores percentuais de descoloração atingidos, correspondentes ao tempo reacional de 240 minutos, foram de 89 % para a solução 5 mg/L de corante e 88 % para a solução de 10 mg/L, ambas sob potencial de 2,5 V. A cinética observada foi tipicamente de 1ª ordem.

Texto completo: PDF