Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Avaliação da qualidade física, química e biológica do efluente da ETE de um resort, segundo o preconizado pelas legislações vigentes sobre emissão de efluentes.
Isabela Pinheiro Teixeira

Última alteração: 2012-09-04

Resumo


As mais variadas formas de tratamento de efluentes e suas diversas vantagens e desvantagens, propiciam uma emissão de esgotos no ambiente de distintas características quanto a sua carga poluidora, portanto o presente artigo teve como objetivo realizar um diagnóstico da qualidade do efluente de uma ETE, a qual trata esgoto condominial, seguindo os seguintes aspectos: físicos, químicos e biológicos, de maneira a avaliar o atendimento ou não dos padrões de lançamento estabelecidos pela Resolução CONAMA Nº430/11(altera e complementa a Resolução 357/05) e Portaria da SEMACE Nº154/02, bem como propor eventuais ajustes ao tratamento de maneira a garantir o atendimento aos padrões de lançamento de efluentes. Trata-se de uma pesquisa de levantamento de dados, os quais foram avaliados os resultados obtidos com as análises laboratoriais do referido efluente. Após toda a análise chegou-se aos seguintes resultados: praticamente todos os parâmetros obedeceram aos limites preconizados pelas legislações vigentes, ou seja, o tratamento aplicado na ETE é eficiente e possui credibilidade. Concluindo-se que o efluente é de boa qualidade e supostamente não causa impactos ao ambiente local. Porém algumas sugestões foram feitas com o intuito de contribuir para aumentar a eficácia da ETE em questão.


Texto completo: PDF