Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Aptidão física e percentual de gordura em escolares do ensino médio integrado do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano/IFBAIANO/Campus Senhor do Bonfim/BA
Lima Oliveira Lima, Mayana Maia Silva Santos, Mikaelison da Silva Lima

Última alteração: 2012-10-20

Resumo


Objetivou-se avaliar o nível de atividade física, aptidão física e o percentual de gordura de escolares do ensino médio do IFBAIANO/Campus Senhor do Bonfim/BA. A amostra foi composta por 166 escolares de ambos os sexos com idades 13 a 18 anos. Destes 67 são do sexo feminino e 99 do sexo oposto, com média de idades 15,46 + 1,52 e 15,99 + 1,34 respectivamente. Foram realizados testes de resistência muscular localizada de flexão de braços (apoio) e resistência muscular localizada de abdome durante 01 (um) minuto e, estimado o consumo máximo de oxigênio (VO2máx) por meio do teste de PACER/LÉGER, para avaliar a composição corporal foram coletados peso, estatura e estimado o percentual de gordura por meio das dobras cutâneas subescapular e tríceps. Para análise estatística foi utilizado o software SPSS for Windows, utilizando a estatística descritiva e teste “t” Student. Os resultados mostraram que a maioria dos alunos encontra-se com o nível de atividade física classificada entre moderadamente ativa (85%) e 15% fisicamente ativa, mas com baixa aptidão física, 52,4% com fraca e abaixo da média para flexão de braço; 73,5% com fraca e abaixo da média para resistência abdominal e 84,9% com capacidade cardiorrespiratória muito fraca. Para a composição corporal observou-se que a maioria das alunas 55,2% foi classificada como ótimo, porém 22,4% classificadas com sobrepeso. A ocorrência de alunos classificados como ótimo, foi menor que o sexo oposto, 47,5%; com ocorrência expressiva para baixo peso de 37,4%. Entre as alunas, as idades com maiores ocorrências de sobrepeso, com média de 40,0% foram 16 e 18 anos de idade. Entre os alunos, as maiores ocorrências foram inversas, para baixo peso, cerca de 39,0% nas idades de 15,16 e 17 anos. Portanto, recomenda-se que sejam realizados novos estudos para permitir a observação da evolução do perfil desse alunado.


Texto completo: PDF