Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA DO REBANHO EFETIVO DE CAPRINOS NATIVOS DO MUNICÍPIO DE FLORESTA, PERNAMBUCO
Tiago Santos Silva, Luzimar de Sá Silva, Iran Alves Torquato, Olímpia Lima Silva Filha, Barbara Josefina de Sousa Quirino

Última alteração: 2012-10-17

Resumo


A adaptabilidade de um grupo genético em uma determinada região não consiste somente na busca de alimento ou resistência a determinada enfermidade, mas em uma adaptação geral em seu comportamento e alteração em sua estrutura física. Segundo Sousa & Morais (2000), a conformação corporal de animais oriundos de diferentes regiões especificamente no que tange a medidas corporais que envolvam dimensões e suas relações, não tem sido estudada no novo ambiente (Sousa & Morais, 2000), o conhecimento sobre a biometria de um agrupamento genético contribui em grande parte para a definição deste grupo, principalmente no que se refere à definição de seu porte e aptidões. O objetivo do presente trabalho será avaliar características morfométricas, e estudar algumas características que possam refletir as habilidades produtivas em caprinos do grupo local moxotó. utilizando onze variáveis morfo-estruturais de natureza quantitativas, tais como medidas de longitude da cabeça ou comprimento da cabeça (LCb); longitude do rosto (LR); largura da cabeça (LC); comprimento do corpo (CC); perímetro torácico (PT); altura da cernelha (AC); altura da região sacral (ARS); largura da garupa (LG); longitude da garupa (LoG); perímetro da canela (PC); tamanho da orelha (TO). Sendo realizadas com o auxílio de fita métrica e hipômetro, com o animal mantido em estação e aprumos bem posicionados, conforme Zepeda et al. (2002). A análise estatística foi feita através do procedimento PROC GLM. Todas as análises estatísticas serão realizadas utilizando o programa SAS 9.1.(SAS, 2002). Não houve diferença estatística (P>0,05) sobre o dimorfismo sexual. Os valores das medidas morfométricas foram: LCb (29,23 ±1,92), LC (18,70±1,15), PT (10,96±0,76), LR (.13,03±1,13), CC (43,23±4,01), AC (61,00±4,07), ARS (61,27±3,91), LG (20,43±2,10), LoG (19,00±1,39), PC (10,97±0,76), TO (13,37±1,10), mostrando a necessidade da realização de estudos para identificação de novos grupos genéticos.

Texto completo: PDF