Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Ocorrência de estudos químicos e biológicos em espécies raras de Melastomataceae do Brasil
Tonny Cley Campos Leite, Wellkens David da Silva Praxedes, Amanda Reges Sena, Teresinha Gonçalves da Silva

Última alteração: 2012-10-15

Resumo


Melastomataceae é uma das maiores famílias botânicas ocorrentes no mundo com cerca de 170 gêneros e aproximadamente 4500 espécies. No Brasil é a sexta família botânica em numero de espécies com 70 gêneros e 1000 espécies. Sua distribuição é predominantemente tropical e mesmo representativamente numerosa a família é pouco estudada do ponto de vista químico e biológico. Este trabalho teve como objetivo descrever a ocorrência de estudos químicos e biológicos em espécies raras de Melastomataceae brasileiras. A partir da lista das espécies obtida do livro plantas raras do Brasil foram pesquisadas as 120 espécies de Melastomataceae pertencentes aos gêneros Aciotis, Cambedessia, Chaestoma, Comolia, Eriocnema, Lavoisiera, Marcetia, Meriania, Miconia, Microlicia, Physeterostemon, Pleiochiton, Pterolepis, Svitramia, Trembleya. A pesquisa foi realizada nas bases de dados Scifinder (Chemical Abstracts Service), Scopus (Elsevier), Web of knowledge (Thomson Reuters), Wiley (John Wiley & Sons) e banco de teses da Capes. O resultado é importante como um argumento para futuras reflexões e questionamentos sobre a biodiversidade brasileira e os estudos referentes já que destas 120 espécies pesquisadas apenas duas já foram pesquisadas quanto aos seus aspectos químicos e biológicos. As espécies avaliadas foram Lavoisiera cordata e Lavoisiera macrocarpa, e o artigo no qual estas espécies foram analisadas descreveu os flavonoides isolados de diversas espécies de três gêneros de Melastomataceae.

 


Texto completo: PDF