Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Evolução microestrutural da cinética de austenitização do aço 1045
Claudio Cassio Lima, Mário Cezar Alves da silva, Rodrigo Estevam Coelho, Maria Dorotéia Costa Sobral, Iris Andrade Bezerra

Última alteração: 2012-08-28

Resumo


Neste trabalho será apresentado um estudo da evolução microestrutural e da dureza sobre a rápida austenitização do aço SAE 1045, nas condições de temperado e revenido para diversas condições de tempo e temperatura. Os resultados dos ensaios mostraram que a dureza diminuiu drasticamente com o aumento da temperatura de revenimento de 350ºC para 550°C, independentemente do tempo de encharque. Para as mesmas condições de tempo e de temperatura do tratamento de revenido, as amostras austenitizadas isotermicamente a 850°C, 950°C e 1050°C e temperadas a partir desta temperatura, sob condições diferentes de tempo de encharque, não apresentaram variação significativa nos valores de dureza, significando que as dimensões da amostra de f25 x 10 mm proporcionaram uma homogeneização e decomposição completa da austenita. A microestrutura das amostras temperadas em temperaturas elevadas (1050ºC) e revenidas (550ºC) são formadas por martensita revenida e ferrita de Widmanstätten e das amostras somente temperadas é predominantemente martensita.

Texto completo: PDF