Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DE SUCO TROPICAL DE CAJU ADICIONADO DE ESPESSANTE NATURAL
Lorena Galdino da Franca, Maria Izamara de Jesus Norte, Francisca Andrea Kércia Silva, Germana Conrado de Souza, Mônica de Oliveira Maia, Renata Chastinet Braga

Última alteração: 2012-08-28

Resumo


O suco de frutas integral de caju é definido pela legislação brasileira, Instrução Normativa nº 01/00, como sendo a “bebida não-fermentada e não-diluída, obtida da parte comestível do caju (Anacardium occidentale, L.) por meio de processo tecnológico adequado. O suco foi preparado utilizando polpa de caju, benzoato de sódio, ácido cítrico, açúcar e água, e o polissacarídeo, foi preparado também um suco controle sem o polissacarídeo. Na avaliação foram feitas análises microbiológicas de crescimento de bolores, leveduras e coliformes totais durante três semanas sob condições de refrigeração e foram medidos pH, ºBrix, viscosidade e vitamina C do suco. Em relação ao caráter físico-químico o suco não apresentou grandes alterações de pH, ºBrix e vitamina C, no entanto sua aparência e viscosidade modificaram, os sucos com polissacarídeos apresentaram maior viscosidade e maior homogeneidade sendo visualmente mais atrativo. Este projeto visa a observação do controle microbiológico e avaliações físico-químicas do suco tropical de caju adicionado do polissacarídeo de Caesalpinia pulcherrima. Foi possível comprovar que a utilização dos polissacarídeos como espessante é possível, sem alterar de forma significativa as características físico-químicas deste. Em relação às análises microbiológicas, a presença de polissacarídeo não interfere no crescimento de bolores e leveduras. 


Texto completo: PDF