Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, 8ª JICE - JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO

Tamanho da fonte: 
MAPEAMENTO DO POTENCIAL EROSIVO DAS CHUVAS NA BACIA DO RIO MANUEL ALVES DA NATIVIDADE
Virgílio Lourenço da Silva Neto, Elismar Dias Batista, Wilmar Borges Leal Junior, Zanine Vargas Fabris, Pedro James Almeida Wolney Rodrigues

Última alteração: 2017-10-23

Resumo


O índice de erosividade (EI) expressa o potencial erosivo das chuvas, que é a capacidade potencial das chuvas em provocar erosão. Objetivou-se calcular os valores de erosividade (fator R - EI30) mensal e anual e realizar o mapeamento da erosividade anual das chuvas na Bacia do Rio Manuel Alves da Natividade. Para a determinação da erosividade foram utilizadas equações ajustadas aos padrões homogêneos de precipitação segundo a literatura e para o mapeamento foi utilizado o interpolador Inverso da Potência da Distância com expoente 3, que obteve o melhor desempenho. Os meses que apresentaram maiores valores de erosividade, foram dezembro e janeiro, 3.014 e 2.789 MJ mm ha-1 h-1 ano-1, respectivamente. Os meses com menores valores de erosividade na bacia foram junho e julho, com erosividade equivalente a 0,29 e 1,34 MJ mm ha-1 h-1 ano-1, respectivamente. A porção centro-oeste da bacia apresentou maior erosividade, variando entre 13.727 e 16.072 MJ mm ha-1 h-1 ano-1 e uma segunda classe de erosividade entre 12.668 e 13.727 MJ mm ha-1 h-1 ano-1, que se estende pela maior parte da área da bacia, iniciando-se na sua porção central, norte e nordeste. Os menores valores de erosividade, variando entre 9.522 e 11.655 MJ mm ha-1 h-1 ano-1 (Figura 3A) e entre 7.005 e 9.183, respectivamente. A bacia do rio Manuel Alves da Natividade apresenta severo risco natural à erosão hídrica, principalmente nas regiões centro-oeste, norte e nordeste.

Texto completo: PDF