Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Estudo de alguns compostos bioativos das pitayas de polpas branca e vermelha (Cereus undatus, Sinonímia: Hylocereus guatemalensis, H.undatus)
Luzimary de Jesus Ferreira Godinho Rocha

Última alteração: 2012-08-28

Resumo


A pitaya (Cereus undatus, sinonímia: Hylocereus guatemalensis, H.undatus) é uma fruta exótica e de consumo ligeiramente crescente no nosso país. As atribuições funcionais dadas a essa fruta, pelo senso comum, incita ao estudo das suas características físicas, químicas e microbiológicas. Deve-se ressaltar que as frutas são fontes primárias de várias vitaminas e outros compostos bioativos, como por exemplo, os antioxidantes, vitaminas e açúcares. A ingestão desses compostos aumenta a imunidade dos indivíduos, induzindo a melhores níveis de saúde e melhorando o seu rendimento físico e mental. Os valores de referência para a pitaya, ainda, são desconhecidos do grande público, por ser esta uma fruta de consumo de uma classe abastada, por seu preço ser demasiadamente alto para os nossos padrões brasileiros. As matrizes em alimentos são muito complexas, dadas as suas características naturais. Diante disso, várias são as técnicas utilizadas para determinações analíticas de compostos bioativos, dentre elas, têm-se a Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE) e espectrofotometria U.V visível. O objetivo deste trabalho é estudar a presença de vitamina C e açúcares nas pitayas de polpas branca e vermelha por CLAE, bem como, determinar, ainda, o teor de atividade antioxidante pelo método de captura do radical 2,2’- azinobis (3-etilbenzenotiazolina-6-ácido sulfônico – ABTS), teores de sólidos solúveis (ºBrix), além da acidez e pH.


Texto completo: PDF