Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
DEGRADAÇÃO AMBIENTAL: percepções socioambientais do Rio Itapecuru, Município de Caxias, (MA).
AIRTON SILVA SILVA ABREU, JOSEANE MOURA MOURA QUEIROZ, FABIANA CONCEIÇÃO CONCEIÇÃO ALVES, SULINETE MOURA MOURA SILVA, MARCELO MOIZINHO OLIVEIRA

Última alteração: 2013-03-22

Resumo


O Itapecuru é o rio autenticamente maranhense, único que nasce e deságua no próprio Estado. Referência histórica sob o ponto de vista da colonização funcionou durante muito tempo como meio de transporte, escoando a produção, principalmente agrícola, dos primeiros desbravadores da terra. Berço de inúmeras tribos indígenas, os primeiros donos da região, o rio veio sendo gradativamente destruído, manietado pela ganância de grandes latifundiários, pela ignorância ambiental dos ribeirinhos e pela incúria de políticos incompetentes ou entregues ao escarro da corrupção. Ao longo de todo esse outrora vigoroso curso d’água, os peixes eram encontrados com facilidade, dentre eles o imponente surubim, de saudosa memória. Em cada município banhado pelo Itapecuru são mapeadas as cicatrizes ambientais provocadas pela ação humana, cuja presença em qualquer lugar representa um câncer para os ecossistemas. O trabalho foi desenvolvido com utilização de entrevistas formais (questionários pré-elaborados) e entrevistas informais (mais abertas), com os moradores entendendo nesse sentido que, estes instrumentos metodológicos respondem com mais eficácia a realização dessa pesquisa, que teve como objetivo caracterizar as condições socioambientais do Rio Itapecuru em Caxias/MA identificando a percepção ambiental dos moradores dessa área, e compreender a real situação do Rio Itapecurú na cidade de Caxias que vem passando por um processo de intensa degradação.


Texto completo: PDF