Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO DE DOIS LATICÍNIOS LOCALIZADOS NO MUNICÍPIO DE QUIXERAMOBIM-CE
Rodrigo Leite Moura, Rafaella Martins de Freitas, Francilda Rodrigues Guimarães, José Marcos Sousa dos Santos

Última alteração: 2012-08-16

Resumo


A água apresenta-se como importante fator de contaminação no processamento de alimentos; uma vez que na indústria é utilizada de diversas formas: como matéria-prima fundamental, secundária e auxiliar, além de agente de limpeza e sanitização. Embora seja evidente a importância que a água exerce sobre a qualidade do leite, poucos produtores e indústrias de laticínios têm monitorado sua qualidade. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade microbiológica da água que abastece duas indústrias processadoras de leite localizadas na cidade de Quixeramobim-CE, esta conhecida por ser a maior bacia leiteira do Estado do Ceará. Foram realizadas duas coletas de água nos meses de abril e maio de 2012. As amostras foram avaliadas quanto à presença de coliformes totais e coliformes termotolerantes. Ficou evidenciado que as águas do processamento das duas indústrias processadoras de leite estão fora dos padrões microbiológicos determinados na Portaria nº 518/04 que determina os parâmetros de contaminação microbiológica para água de consumo humano. A partir dos resultados encontrados pode-se afirmar que a grande contaminação da água está ocorrendo ao chegar às indústrias, pois os resultados obtidos para a água do abastecimento público indicam que esta não possui qualidade comprometida. Podemos concluir que a água proveniente do sistema público de abastecimento da cidade de Quixeramobim-CE, que abastece os dois laticínios estudados, é de boa qualidade e que a contaminação está ocorrendo dentro das próprias indústrias. A água utilizada na área de processamento encontra-se fora dos padrões, segundo a Portaria nº 518 de 25 de março de 2004 do Ministério da Saúde, que estabelece como requisito de potabilidade para a água destinada ao consumo humano: ausência de coliformes totais e termotolerantes em 100 mL de amostra.

Texto completo: PDF