Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
Caracterização físico-química do óleo vegetal de coco baiano (Cocos nucifera Linn)
Aziel Garcia de Araujo, Marcos Antonio Sousa Silva, Marcelo Mariano Morais, Liliane Vieira Oliveira, Wirlem Silva Alves, José Sebastião Cidreira Vieira

Última alteração: 2012-08-30

Resumo


A cultura do coqueiro contribui significativamente para a geração de emprego e renda no Brasil. O óleo extraído a partir do coco baiano (Cocos nucifera Linn) é capaz de queimar calorias, contribuindo para a redução de massa (emagrecimento). Sua gordura normaliza os lipídeos e aumenta a resistência imunológica do usuário. Este trabalho teve como objetivo caracterizar físico-quimicamente o óleo de Cocos nucifera Linn, extraído pelo método Marziel. O referido óleo foi obtido a partir de sua polpa através de processos extrativos físicos. As análises físico-químicas revelaram baixo índice de acidez, indicando que o mesmo possui bom estado de conservação.  O teor de ácidos graxos livres revelou um valor médio de 0,21% considerado pequeno e consoante ao índice de acidez. O teor de água apresentou-se um pouco elevado, provavelmente por que no decurso da extração do óleo pelo método Marziel, a água do próprio coco (soro) ter sido usada na etapa de trituração. A água facilita a decomposição do óleo, permitindo o aumento da rancidez e a proliferação de micro organismo indesejáveis. O índice de saponificação variou na faixa de 247 a 258 g/kg da amostra analisada indicando que o referido óleo pode ser aplicado na produção de produtos de limpeza e higiene pessoal. O óleo analisado revelou ainda, um alto teor de lipídeos, 84,73% (± 3,01). A decomposição dos lipídios contribui para a elevação do índice de acidez e do teor de ácidos graxos livres principalmente quando não há controle da temperatura durante a etapa de extração, o que provavelmente não aconteceu neste trabalho.


Texto completo: PDF