Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, VII CONNEPI - Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação

Tamanho da fonte: 
PROSPECÇÃO FITOQUÍMICA DO EXTRATO AQUOSO E HEXÂNICO DAS FOLHAS DA Lavandula officinalis
LETICIE CARVALHO EVANGELISTA, MARIA FERNANDA FREITAS FREITAS DE BRITO, NAYRA CINTHIA COSTA DE SOUZA, REGINALDO JONAS DE JESUS PPINHEIRO, IVANALDO RIBEIRO DE MOURA, MANOEL DE JESUS MARQUES DA SILVA

Última alteração: 2012-08-30

Resumo


A utilização de plantas na terapêutica e prevenção de doenças pode ser detectada em diferentes formas de organização social, constituindo-se como uma prática milenar associada aos saberes populares e médicos e a rituais. A Lavandula officinalis Chaix & Kitt popularmente conhecida como alfazema das flores, pertence à família Lamiaceae (Labiatae), apresentando propriedades medicinais valiosas, tais como: atividade anti-séptica, antiinflamatória, analgésica, antimicrobiana, entre outros. Dessa forma, sendo imprescindível na terapia alternativa. O teste realizado no Laboratório de Alimentos do Instituto Federal do Piauí (IFPI) teve por objetivo avaliar o perfil fitoquímico qualitativo do extrato aquoso e hexânico das folhas de L. officinalis visando uma pesquisa preliminar das substâncias (metabólitos secundários) presentes na mesma. As folhas utilizadas na caracterização fitoquímica da L. officinalis foram adquiridas no mercado central, localizado no município de Teresina-PI, no período de Junho de 2012. Para obtenção do extrato aquoso e hexânico as folhas foram moídas em moinho de facas; a prospecção fitoquímica foi avaliada de acordo com os métodos descrito por Barbosa et al. (2001) proposta no Manual para Análise Fitoquímica e Cromatográfica de Extratos Vegetais da Universidade Federal do Pará (UFPA). As classes de taninos; flavonóides; saponinas e carboidratos totais apresentaram resultados positivo no extrato aquoso. Porém, não foram identificados quinonas; resina; aminoácidos e alcalóides. Já no extrato hexânico, as classes de taninos; resina e aminoácidos apresentaram resultados positivo. Entretanto, não foram identificadas as classes de flavonóides; quinonas; saponinas; carboidratos totais e alcalóides.

Texto completo: PDF